' '

19/08/2009

Gibis Disney Setembro de 2009 — Tio Patinhas #530

Por E. Rodrigues & José Rivaldo Ribeiro

Tio Patinhas #530

84 páginas — formatinho — R$ 4,95
capa: Massimo Fecchi


Patinholândia
Roteiro: Jens Hansegård. Desenhos: Massimo Fecchi.
Primeira publicação: Lustiges Taschenbuch #373, Alemanha, jan/08. Inédita no Brasil.


Cansado de tantos impostos, taxas e tributos, Tio Patinhas resolve criar, do nada, um país independente! Acontece que Patópolis rapidamente se transforma num caos, dada a ausência de seu maior contribuinte.

www.invasão.alienígena
Roteiro: Valentina Camerini. Desenhos: Marco Mazzarello.
Primeira publicação: Topolino #2779, Itália, mar/09. Inédita no Brasil.
A mais recente HQ italiana com Biquinho mostra, como nos velhos tempos, a paz do pobre Donald sendo quebrada com a visita do primo Peninha e de seu sobrinho. O patinho agora é um expert na 'Patonet', mobilizando estações de televisão e até mesmo a Agência Espacial Patopolense. Tudo por causa de um simples trabalho escolar sobre seres extraterrestres!

Biquinho foi criado pelos Estúdios Abril no início da década de 1980. Sua primeira aparição em um gibi foi na capa de Almanaque Disney #129 (fev/82), cuja arte (opa!) o Inducks registra que seria de Napoleão Figueiredo. E foi em Tio Patinhas #202 (abr/82) que estreou numa HQ, O Furacão Branco e Preto, com roteiro de Gérson L. B. Teixeira e desenhos de Irineu Soares Rodrigues.

Segurança no Trabalho
Argumento: Martin Deleurand. Roteiro: Charlie Martin. Desenhos: Daniel Branca.
Primeira publicação: Anders And & Co. # 1995-13, Dinamarca, mar/95. Inédita no Brasil.
Esta HQ traz Tio Patinhas (com tiradas impagáveis) às voltas com a visita de um inspetor de segurança em uma de suas obras. Bem, como o muquirana costuma mesmo economizar em tudo, pode-se dizer que mais 'seguro' mesmo teria sido o tal inspetor ficar em casa!

Obsessão
Roteiro: Byron Erickson. Desenhos: Daan Jippes.
Primeira publicação: Kaczor Donald # 2009-04, Polônia, jan/09. Inédita no Brasil.

Após décadas de tentativas, Maga Patalójika consegue realizar seu grande sonho: obter o toque de Midas! Alcançada finalmente essa meta vem o dilema: e agora? Sem velhos hábitos, a vida pode se tornar insuportável. O problema desta HQ é que a arte de Dan Jippes é tão fenomenal, que você não sabe se presta atenção na história ou nas expressões formidáveis que o artista imprimiu na feiticeira!

8 comentários:

Anônimo disse...

"Obsessão' parece ser uma boa história - os desenhos de Daan Jipes são mesmo ótimos,e o enredo de "Patinholândia" também tem cara de interessante, mas confesso que eu nunca apreciei os desenhos de Massimo Fechi: os traços são grossos e os patos muito caricatos, como a maioria dos quadrinhos italianos produzidos atualmente; Marco Mazzarello é outro que leva esse estilo ao extremo e tira muito do prazer da leitura(pelo menos pra mim, um fã dos quadrinhos clássicos). E as histórias de Romano Scarpa, já pararam de ser publicadas? Era o que estava fazendo a revista valer a pena, e lendo a seção de cartas da última edição, tive a impressão de que eles ainda teriam muito desse material clássico para publicar.

Anônimo disse...

Caro colega é contraditório você dizer que os traços italianos são grotesco e que romano scarpa vale apena.
Assim como muitos desenhistas europeus que tentam seguir os traços do inesquecivel Carl Barks, o italianos Marco Mazzarello Massimo Fecchi, são segudores de Romano Scarpa.

Anônimo disse...

Amigo, em primeiro lugar, eu gostaria de dizer que jamais me referi aos quadrinhos Disney italianos como um todo - muito menos utilizei a palavra "grotesco" - ,mas apenas a uma certa parcela de desenhistas com um traço semelhante e ao meu ver, extravagante. Agora, eu estou certo de que os autores citados são grandes artistas Disney, seguidores artísticos de Carl Barks e reconhecidos como tal, mas há de ser feita uma distinçao entre os quadrinhos clássicos de Romano Scarpa (e outros grandes mestres italianos como Giovan Batista Carpi e Giorgio Cavazzano no início de sua carreira) e os atuais de Fechi, Mazzarello, Alessandro Perina e outros. Se compara-los, você concordará comigo que o traço antigo é muito mais fino e realista, enquanto o atual é mais grosso e extravagante; é claro que muitos leitores preferem esse estilo atual, e você pode muito bem ser um deles, entretanto esse não é o meu caso – mas, é claro, cada um com sua opinião. Por isso, eu posso afirmar que não existe contradição em meu comentário, visto que o traço dos seguidores de Scarpa se alterou muito ao longo das décadas que os separam de seu mestre, até se tornarem dois estilos completamente diferentes. Obrigado.

HP

Anônimo disse...

Aproveito a oportunidade para relatar um defeito de edição: ontem comprei Tio Patinhas 529 e, inexplicavelmente, ela veio com algumas páginas grudadas pelo canto superior; gostaria de saber saber se esse foi um problema específico desse exemplar ou se todas as edições 529 vieram com esse defeito. É claro que é um fato sem importância, mas desperta um certo estranhamnento nos leitores.

HP

Anônimo disse...

Caro HP, agora você mudou a impressão (heheheh). Não aguentei...
Peço desculpas, de fato você não usou a palavra 'grotesco', mas 'grosso', é que aqui na minha terra as duas palavra significam basicamente a mesma coisa.
O traço de romano scarpa , Massimo e cavazzano são os melhores mesmo.
Eu confesso que acho alguns muito feios, é de uma pobreza... parece que desenham com preguiça, mas gosto de alguns roteiros, não sei se quem tá lendo concorda comigo mas algumas histórias são longas e cancativas.

Rogerio
Paraiba

BLOG DO XANDRO ® disse...

gostei da matéria,continue...hehe,abraços!

Anônimo disse...

Uma discussão sobre artistas Disney e seus mais variados estilos é sempre algo muito interessante, especialmente quando quando alguns pontos de vista são divergentes.O traço italiano atual detém a supremacia nas publicações disney do mundo todo, então é claro que muitos se agradam dele; entretanto, o estilo clássico é insuperável, e infelizmente possui hoje pouco espaço nos gibis. É por isso que Aventuras Disney vai deixar tantas saudades, pela excelente mescla entre inéditos e clássicos que provavelmente não vai ser vista em outra publicação tão cedo.

HP - Rio Grande do Sul

Anônimo disse...

HP, faço minhas as suas palavras, concordo em grau, número e gênero com você.
Ludy